×

Blog

Características do Bull Terrier

Bull Terriers podem ser: brancos puros, brancos c/ marcações  (preta, tigrada ou baio). Esses brancos podem ter marcações coloridas    apenas na cabeça. Temos ainda os brindles (tigrados), blackbrindles (tigrados    c/ manto preto), baios e tricolors. O padrão desqualifica duas cores:    azul e fígado. Variações de cores: Brindle & branco Blackbrindle & branco Baio & branco Tricolor    Brancos podem ter fator colorido, levando qualquer uma das cores acima. Geneticamente eles também são coloridos. Branco c/ marcação baio Branco puro    Existem regras genéticas básicas para produzir cores nos Bull    Terriers. Aqui estão alguns fundamentos:    – branco + branco só dá filhotes brancos. – para ser colorido, pelo menos um dos pais deve ser colorido. – brindle (tigrado) é dominante. Cruzando com tigrado, pode-se obter  todas as cores.  – para ser tigrado, pelo menos um dos pais deve ser tigrado ou no caso de um  deles ser branco, deve ter fator tigrado.   Tigrados são importantes porque trazem substância e ossos bons,  evitando a degeneração. Coloridos têm freqüentemente  olhos mais redondos do que os brancos, quando eles deveriam ser triangulares.  Por outro lado o colorido supera em pigmentação, considerando  que você pode ver freqüentemente nos brancos, narizes rosas.

ESTUPIDAMENTE CHARMOSO

A aparência engraçada, é só um dos detalhes que  tornam este cão único entre todas as raças.   O Bull Terrier chama a atenção, literalmente, de cara. Ao contrário  de todas as demais raças caninas, a cabeça do Bull, em formato  de ovo, é desprovida de qualquer ângulo com o focinho. Não  bastasse esse detalhe, tem ainda, os olhos triangulares pequenos, desproporcionais  ao focinho muito comprido. Unam-se a isso as orelhas compridas e pontiagudas  e o Bull ganha uma aparência exótica e divertida a qual é  impossível ficar indiferente. Se a cara é engraçada, a  conhecida capacidade de saltar, a precisão do salto do Bull, surpreende  os menos avisados. A boa disposição física torna o Bull  uma ótima companhia para exercícios tanto para cooper quanto outros  esportes que exijam agilidade.

AFETIVO

Descrito no padrão oficial como “particularmente  amável com as pessoas”, o Bull é dengoso e afetuoso. Agora,  imagine um cão com a altura aproximada de um Cocker, mas duas vez mais  massudo, instalado no aconchego do seu colo. Ativo como um bom Terrier, o Bull  não é nada monótono. Ele é capaz de transmitir sentimentos  sem fazer alarde e mantém a disposição para brincar, mesmo  adulto.

AMOR INCONDICIONAL

O Bull adora o dono. Mostra-se especialmente fiel, amigo e protetor do dono,  mas em geral, se dá bem com todos na família. Com crianças,  costuma ser carinhoso e muito cuidadoso. Ao brincar com uma criança,  o Bull sabe medir sua força. Se a mesma maltratá-lo, simplesmente  vai para o seu canto.

O GUARDIÃO

Quem conhece bem o Bull Terrier aposta no potencial dele como guardião.  Ainda que não seja tradicionalmente usado na guarda, é eficiente  por ser corajoso, destemido e rápido. Faz pequenas rondas e é  atento a tudo o que ocorre. Até quando dorme é bem possível  vê-lo com as orelhas em sinal de atenção, ao menor ruído.  Mas não é nada barulhento. Raramente late. Simplesmente rosna  e, se preciso, parte para o ataque. Mas quem prefere um Bull Terrier controlado,  sem ser “fera”, terá um bom guardião mesmo sem isolá-lo.  O ataque desse cão é rápido e certeiro. Suas iniciativas  de defesa ao dono, mesmo quando não treinado para isso, podem surpreender.  O carro, para um Bull, é extensão do território, como se  fosse sua casa, se alguém se aproximar, ele rosna e se insistir, ataca.

SOCIABILIDADE    Uma tendência natural da raça é a dificuldade de relacionamento  com cães estranhos adultos. Mas o Bull pode ser acostumado desde filhote  a aceitar outros cães e ser educado a não brigar. Se a briga ocorrer  entre eles, é difícil separar, pois o Bull trava a mandíbula.  Com outros animais, a situação é pior ainda. A raça  enfrenta qualquer animal, mesmo maior que ela.   Outro traço marcante no Bull Terrier é o temperamento independente,  forte, dominador. É preciso paciência para educá-lo. É  raridade encontrar um Bull que aprenda a obedecer rapidamente; a vontade própria  e a argúcia do Bull exigem mostrar a ele a vantagem que terá ao  cumprir a ordem dada. Logo compreenderá e colaborará.